A vila de Monsaraz pertence a Reguengos de Monsaraz e localiza-se no Alentejo, no Sul de Portugal.

É uma das mais antigas vilas de Portugal e está classificada como Monumento Nacional. No alto de um monte, as ruas brancas e inclinadas encontram-se envolvidas por muralhas medievais, destacando-se na vasta planície.

A região onde hoje se encontra Monsaraz já é ocupada desde a pré-história, podendo ser encontrados alguns vestígios megalíticos que o comprovam. Existem cerca de 150 achados arqueológicos que habitaram a região há 6000 anos.

Quanto à vila, começou por ser um castro fortificado, que era um tipo de povoado em que as estruturas eram predominantemente circulares. A povoação foi sendo ocupada, primeiro pelos romanos, depois visigodos, árabes, moçárabes e judeus. Quando esteve sob o domínio do Islão Monsaraz chamava-se Saris ou Sarish.

A reconquista cristã foi levada a cabo por Geraldo Geraldes, conhecido por Geraldo Sem-Pavor, que saiu numa expedição de Évora. Esta é uma personagem semilendária conhecida por ser um nobre de trato difícil mas espírito aventureiro. Os árabes (Califado Almôada) e depois os castelhanos ocuparam a vila mais uns anos até que foi recuperada por D. Nuno Álvares Pereira, o Condestável.

Após a proclamação da independência face à Coroa Espanhola (em 1640) foi edificada uma nova cintura abaluartada e eventuais ataques passaram a ser quase impossíveis.

A muralha medieval, mais antiga (e com cerca de 600 metros) ficou no interior desta nova.

Numa visita devemos visitar o seguinte património:

  • Castelo e fortificação medieval e seiscentista – o interior do Castelo encontra-se um pouco descaracterizado devido às modificações levadas a cabo quando o seu interior funcionou como praça de touros no século XIX;
  • Casa da Inquisição – julga-se que terá sido um albergue de um familiar do Santo Ofício ou um local de estadia temporária de acusados que seriam julgados em Évora;
  • Portas: Porta da Vila e a de Évora (as principais), do Buraco e da Alcoba;
  • Casa do Juíz de Fora – residência dos governadores da vila e dos juízes de fora;
  • Igreja Matriz de Nossa Senhora da Lagoa, da Misericórdia e de Santiago;
  • Capela de S. José;
  • Pelourinho – símbolo da jurisdição e autonomia do concelho;
  • Novos Paços da Audiência – derradeira Câmara Municipal;
  • Antigos Paços da Audiência – foi o edifício civil mais nobre e representativo de Monsaraz antigo. Atualmente é o Museu do Fresco, sendo de destacar o Fresco do Bom e Mau Juíz que se encontra na Sala do Tribunal;
  • Cisterna – principal reservatório de água e grande abastecedor da população.

Já estive algumas vezes em Monsaraz e gosto muito do passeio por estas planícies alentejanas. A paisagem que se tem do vale do rio Guadiana é linda. É o Alentejo no seu melhor.

Sobre o Alentejo recomendo também a leitura deste artigo sobre o cante http://viajarpelahistoria.com/cante-alentejano/

Pin It on Pinterest

Share This