A região da Andaluzia esteve ocupada pelos árabes durante várias centenas de anos. Granada foi o último local a ser reconquistado pelos cristãos, já no século XV. Este povo teve por isso uma enorme influência na vida dos andaluzes, em aspetos como alimentação, arquitetura ou língua.

Um legado que também ficou são os banhos árabes. Quando estive em Córdoba fui várias vezes, ao final do dia. Adorei o ambiente e tambem a sensação de relaxamento resultante do contacto com a água a diferentes temperaturas. Na minha opinião, esta experiência faz parte da viagem. Aconselho vivamente!

Um pouco por toda a Andaluzia pode ir aos banhos árabes e não só em Córdoba. Se for a Almeria, Granada, Málaga, Sevilha, Jaén, Cadiz ou Huelva, também existem.

Como surgiram os banhos árabes?

Começaram por existir termas romanas, banhos bizantinos e banhos a vapor. Já antes do século VII era muito apreciado o hábito de ir a banhos.

Quando os árabes ocuparam os locais onde tinham estado os romanos, aproveitaram as instalações dos banhos que já existiam, mas adaptaram-nas a uma versão um pouco diferente.

Eles acabaram por misturar vários aspetos dos banhos que existiam na altura, romanos e não só.

É interessante verificar que muitos dos banhos árabes que existem, encontram-se na proximidade das mesquitas. Como é sabido, antes da oração é obrigatório realizar as abluções, ou seja, a purificação do corpo. A proximidade dos banhos deverá estar relacionada com isso.

Normalmente existe um ponto de água no acesso à mesquita, mas melhor ainda do que isso seria ir aos banhos árabes.

Inicialmente os banhos apenas podiam ser utilizados por homens, só muito mais tarde é que as mulheres tiveram acesso também. Em alguns casos foram definidos horários para o acesso dos diferentes sexos e noutros foram construídas diferentes estruturas para homens e mulheres.

Mas ir aos banhos era muito mais do que lavar o corpo, era um momento social entre os habitantes. Imagino tanta coisa que se falou… política e negócios, por exemplo. Os banhos árabes faziam realmente parte da vida do povo.

Quando os árabes deixaram a Europa os banhos deixaram de ser utilizados. A Igreja não via com bons olhos um local onde era praticado o ócio e a preguiça, começando mesmo a acreditar-se que o banho poderia ser prejudicial à saúde. E assim, as instalações que existiam deixaram de ser utilizadas.

Foi só já quase no século XX, com mais informação (ciência), que se dismistificou a ideia de que os banhos podiam fazer mal. E como resultado dessa mudança de mentalidade surgiram mais banhos árabes. Hoje em dia sabe-se que os banhos são úteis na ativação da circulação sanguínea.

Como são os banhos árabes de Córdoba?

Os banhos árabes são edifícios públicos dividos em várias salas, podendo variar um pouco de acordo com as instalações. Eu vou falar das instalações que conheci na cidade de Córdoba, as maiores da Europa. Encontram-se localizadas muito próximo da mesquita, como é comum.

Estas instalações já foram cenário de filmes, séries e vários eventos culturais, são magnífícas. Por si só já valem a pena a visita.

Em Córdoba os banhos árabes têm 3 salas de água, sendo elas a sala fria com água a 16ºC, a temperada com água a 36ºC e a quente com água a 40ºC. Durante 1h30 podemos andar livremente por estas salas. Existe também a sala de vapor e a de descanso.

Eu nunca tinha ido e por isso não sabia exatamente o que deveria fazer, mas basta andar por lá, experimentar a sensação que gostamos mais e também o que os repetentes costumam fazer.

Área da receção

Sala temperada

 

Como é ir aos banhos árabes?

Depois de vestir o fato de banho vamos para a sala temperarada, para uma piscina a uns agradáveis 36ºC. É aqui onde a grande maioria das pessoas está.

De vez em quando passamos para a sala fria, onde existe chuveiro com água a 16ºc. Cada um vai estar o tempo que quiser debaixo de água, de acordo com a sua sensibilidade. Eu detesto frio por isso era apenas uns segundos!

Seguidamente devemos ir sempre para a piscina de água temperada. A outra hipótese é ir para a sala quente e entrar numa pequena piscina onde existe uma cascata de água a 40ºC. Temos de entrar muito devagar, não é fácil estar dentro de água mais quente do que o interior do nosso corpo. Mais uma vez, assim como no chuveiro de água fria, estamos o tempo que quisermos.

Depois da água quente voltamos sempre para relaxar para a piscina a 36ºC.

Portanto a ideia é estar na zona temperada e de vez em quando ir à sala fria ou à quente. Depois de cada deslocação devemos regressar sempre à zona temperada. Não vamos diretamente da zona fria para a quente.

É extremamente relaxante fazer este circuito várias vezes. O espaço, a decoração, a música, o cheiro, é todo um conjunto de experiências.

Além de tudo isto pode sempre optar por marcar uma massagem. Marque com algum tempo de antecedência para assegurar que existe disponibilidade para os dias que está em Córdoba.

 

As fotos deste artigo foram cedidas gentilmente pelo Hammam Al Andalus.

Pin It on Pinterest

Share This