Quando chegamos ao coração da cidade de Sevilha vemos imediatamente a Catedral, Santa Maria de la Sede. É um monumento majestoso, sendo a maior Catedral da Europa e uma das maiores do mundo. No estilo gótico é a maior do mundo! Tem 126 metros de comprimento, 83 metros de largura e altura máxima de 37 metros. A área completa ocupada pela igreja é de 23.500m2.

Na sua proximidade encontra-se o Alcazar e o Arquivo das Índias, que também são 2 locais maravilhosos. Juntos formam um complexo que é património da UNESCO desde 1987.

É algo que não pode perder numa visita a Sevilha. Irei falar noutros artigos do Alcazar e Arquivo dos Índias, neste irei focar-me apenas na Catedral.

A história

Como expliquei no artigo sobre a história da Andaluzia, existiu nesta região uma ocupação muçulmana durante muitos anos. No século XII um povo árabe proveniente de Marrocos designado de Almóada, substitui o controle da região da Andaluzia da dinastia dos Almorávidas.

Os Almóadas decidiram transferir a capital do seu reino para Sevilha e construiram uma Mesquita (com um minarete). Foi também no decorrer desta época que foi construído o minarete da mesquita Koutoubia em Marrakesh. É interessante verificar as semelhanças de ambas as estruturas.

Alguns anos mais tarde, já no século XIII Sevilha foi reconquistada pelos cristãos, por Fernando III, Rei de Castela. Com a chegada de uma nova religião a Sevilha, a mesquita existente passou a ser utilizada para a prática do culto cristão. Em 1248 a mesquita foi consagrada Catedral.

Pouco tempo depois de Sevilha se ter tornado novamente cristã, ocorreu um grande terramoto, que causou grandes danos na cidade. O maior estrago foi a queda de 4 esferas de bronze que se encontravam no topo do minarete da antiga mesquita. Susbtitui-se então esta peça por uma estrutura com sino, já na linha da doutrina cristã.

No ano de 1403 começaram a ser realizadas obras na antiga mesquita, para que fosse construída uma nova Catedral. Este processo demorou mais de 100 anos, mas mesmo depois de terminadas as obras foram sempre existindo algumas alterações e reformulações ao edifício original. Hoje em dia podemos dizer que abrange 7 séculos de história.

Num dos processos de restauro colocou-se uma estátua no topo do campanário, antigo minarete, para representar a Fé. Essa estátua de bronze, pesa pouco mais de 1 tonelada, tem forma de cata-vento e chama-se Giraldillo. Com o tempo, a torre passou a designar-se Giralda.

A Catedral – pormenor exterior

A Catedral – pormenor exterior

A Catedral – pormenor exterior

A Catedral – pormenor exterior

A Catedral – pormenor exterior

A Catedral – pormenor exterior

 

O que ver

1 – Giralda

Do alto da Giralda temos uma vista formidável da cidade de Sevilha. O campanário em si também é fantástico, com decoração com motivos geométricos entrelaçados e janelas trabalhadas. Tem uma altura de 96 metros.

Este campanário influenciou a construção de várias torres em Espanha e mais tarde nas Américas.

A Giralda

2 – Réplica do Giraldillo

A estátua que se encontra no topo do campanário tem uma réplica localizada na Puerta del principe da Catedral.

3 – Pátio das laranjeiras

Atravesse uma porta Almóada até ao Patio de los Naranjos. Chegou ao que resta de uma mesquita do século XII. Na fonte que existe neste espaço era onde os muçulmanos faziam as suas abluções antes da oração. Era debaixo das laranjeiras que os pés e mãos eram lavados.

Hoje em dia este pátio é utilizado como local de acesso à Catedral.

4 – Nave central e 80 capelas

A nave central eleva-se a uns impressionantes 42 metros, é gigantesca. Possui uma quantidade enorme de ouro, que imediatamente chama a atenção de quem visita a este monumento.

No interior da Catedral existe um total de 80 capelas e 5 naves. Esteja atento aos pormenores, é pura ostentação…

5  – Retábulo da Capela Maior

O retábulo da Capela Maior é uma enorme peça de arte de ouro e madeira que demorou 80 anos a ser construída. É um dos melhores exemplos de escultura gótica de todo o mundo.

No retábulo encontram-se representadas 45 cenas esculpidas da vida de Cristo e de Santa Maria de la Sede, a santa padroeira da Catedral. O autor desta peça foi o escultor Pierre Dancart.

6 – Sala do Capítulo e Sacristia Maior

A sala do Capítulo, também chamada de Cabildo, tem um formato elíptico e é uma das mais belas obras de arquitetura do Renascimento. Foi criado por Hérnan Ruiz. Neste salão encontram-se as obras do pintor Bartolomé Esteban Murillo, sendo de destacar a sua pintura chamada de Inmaculada Concepción.

Junto a este espaço encontra-se a Sacristia Maior onde está o tesouro, que consiste num conjunto de peças riquissimas.

7 – Túmulo de Cristóvão Colombo

Este é um dos locais mais visitados da Catedral. Os restos mortais de Cristóvão Colombo que foram trazidos de Cuba, possui 4 portadores que representam os reinos de Castela, Leão, Aragão e Navarra.

Pin It on Pinterest

Share This