Quando viajamos existem várias maneiras de conhecer uma cidade, dependendo de vários factores como o tempo que temos, o dinheiro disponível ou ao que damos mais valor.

Podemos conhecer uma cidade pela sua história, comida, vida noturna, pelo comércio por tantas outras formas.

Na minha opinião, a história de um local que visitamos é essencial para perceber um pouco de tudo o que vemos. O que é um determinado monumento, qual a sua utilidade, razão da sua construção e porque é assim, porque é que os habitantes comem de uma determinada forma, tudo se encontra relacionado com o que já aconteceu.

Tomei conhecimento há bem pouco tempo da Local Guddy. Experimentei e gostei de ver a minha cidade de Lisboa, acompanhado por um guddy. Vamos lá então ficar a conhecer um pouco mais sobre esta empresa. Se quiser saber mais vá a https://www.localguddy.com/

O que é?

A Local Guddy é uma plataforma que faz a ligação entre os habitantes de uma cidade e os viajantes. Um guddy é um habitante de uma cidade que a quer mostrar a quem a vem visitar.

Existem 4 tipos de guddys que de acordo com o que mostram são chamados de local guddy, food walker, pub crawler e hommy chef. São habitantes que mostram os locais, os restaurantes, os bares e que até podem fazer uma refeição na sua casa.

Onde existe?

A Local Guddy existe em mais de 160 cidades espalhadas pelo mundo. Pode ser acompanhado por um guddy em Bangkok, Paris, Nova Iorque ou Buenos Aires.

E em Lisboa, como é?

Em Lisboa existe ainda apenas o guddy local, Miguel M. Ele é o responsável pelo passeio “Classic Lisboa Ride”. É super simpático e conhece bastante bem Lisboa, uma vez que nasceu e cresceu mesmo no centro. Veja aqui: https://www.localguddy.com/tours/325-classic-lisboa-ride

Este passeio é realizado num carro que já pertence à família do Miguel desde 1973, o que por si só já torna o passeio bastante original e com classe. O ponto de encontro é no Principe Real e a partir daqui são 3 horas a percorrer Lisboa. Ao mesmo tempo que vamos passeando pelas ruas e fazendo algumas paragens estratégicas o Miguel explica o que vmos. E para mim, este é o ponto mais interessante deste passeio.

O carro

Pormenor do carro

O carro com a Basílica da Estrela e o elétrico 28

Passamos pelo jardim e miradouro de S. Pedro de Alcântara, pelo Largo das Portas do Sol, pela castiça Graça e paramos no magnífico miradouro da Sra. Do Monte. Este é um dos meus locais farvoritos para ver Lisboa. Adoro.

Largo das Portas do Sol

Seguimos para a antiga Mouraria, para o largo do Martim Moniz e para a lindíssima avenida da Liberdade. No alto da avenida paramos no Parque Eduardo VII e este é um excelente local para se ver a cidade, o rio e a margem sul. Daqui seguimos para as Amoreiras, largo do Rato  jardim da Estrela onde fazemos uma paragem de 20 minutos.

Largo Martim Moniz

A parte final do passeio é a pasagem pelo Parlamento, miradouro de Santa Catarina, Rua da Rosa no incontornável Bairro Alto e regressamos ao ponto de encontro, Principe Real.

Existe também a possibilidade de prolongar um pouco este passeio até à margem sul do rio Tejo, onde podemos conhecer a Costa da Caparica e Almada.

Penso que esta é uma abordagem perfeita para conhecer um pouco melhor a cidade de Lisboa e a partir daí puder explorá-la à sua maneira. Eu experimentei e recomendo. Conheço bem Lisboa mas é sempre um enorme prazer vê-la de outras formas.

 

<div id=”blogsportugal-www-viajarpelahistoria-com” style=”display: none;”></div>

Pin It on Pinterest

Share This