O Distrito da Guarda

O distrito da Guarda localiza-se na Beira Alta, sendo limitado a norte por Bragança, a leste por Espanha e a sul por Castelo Branco. É uma zona muito montanhosa, encontrando-se aqui o ponto mais alto da Serra da Estrela, a 1993 metros de altitude. A Serra da Estrela é uma cadeia montanhosa localizada no centro interior de Portugal.

A Torre, o ponto mais alto da Serra da Estrela, é o 2º pico mais alto de Portugal. O 1º é a montanha do Pico na ilha dos Açores com o mesmo nome. Tem 2351 metros.

É nesta zona da Guarda que se encontram algumas das 12 Aldeias históricas de Portugal. São cenários belíssimos que permanecem iguais ao que eram antigamente. Encontram-se no alto da serra e estão alinhados com a fronteira (com Espanha). Antigamente eram locais de defesa e vigia.

A cidade da Guarda

A cidade da Guarda é a mais alta de Portugal, dado que se encontra no extremo nordeste da Serra da Estrela, a 1056 metros de altitude. É conhecida pela cidade dos 5 F´s:

  • Fria: tem clima de montanha, nevando cerca de 14 dias por ano;
  • Forte: pela sua altitude era conhecida por “escudo da Estrela”;
  • Farta: a fertilidade do vale do Mondego;
  • Fiel: Álvaro Gil Cabral recusou entregar as chaves da cidade ao rei de Castela;
  • Formosa: pela sua beleza natural.

Há provas de que a cidade já era ocupada na Pré-História, mas foi apenas em 1190 que oficialmente a cidade foi fundada. Quem a fundou foi D. Sancho I, o 2º rei de Portugal, filho de D. Afonso Henriques.

Estátua de D. Sancho I

Na idade Média a Guarda foi um dos mais importantes redutos de um conjunto de fortificações que defendiam a fronteira portuguesa. A origem do seu nome encontra-se relacionada exatamente com essa importância, era a Guarda fronteiriça.

É uma cidade com imenso património cultural e arquitetónico, acompanhado por uma belíssima gastronomia. Na minha opinião, é uma zona do interior de Portugal muito interessante e que vale mesmo a pena visitar.

É engraçado saber que o fundador da cidade, D. Sancho I teve uma amante que ficou muito conhecida. Chamava-se Maria Pais Ribeiro mas todos a conheciam como Ribeirinha. Uma pequena parte de uma música que o rei dedicou à sua amada deu origem ao lema que ainda hoje a Guarda tem: “Ay muito me tarda/O meu amigo na Guarda”.

O local onde estes amantes se encontravam está identificado na Rua Dom Sancho I, não muito longe da Sé Catedral.

Ao longo dos anos a Guarda foi palco de várias paixões, havendo mesmo quem diga que foi nesta cidade que foi celebrizado o casamento entre D. Pedro I e Inês de Castro…

A Sé Catedral

No centro da cidade da Guarda existem vários pontos de interesse, mas o que se destaca é a Sé Catedral. Este monumento é um dos mais emblemáticos de Portugal, misturando os estilos gótico e manuelino. Ergue-se totalmente majestosa no coração da cidade.

Sé Catedral

Pormenor da Sé Catedral

Porta da Sé Catedral

 A Sé foi mandada construir pelo rei que fundou a cidade da Guarda, D. Sancho I, em 1199. O rei solicitou transferência da sede do bispado para a Guarda e isso obrigou-o à construção imediata de uma catedral.

Mas não existe qualquer vestígio do 1º edifício, nem sequer do 2º que foi mandado construir pouco depois. O monumento imponente que vemos hoje é o 3º edifício. Começou a ser construído em 1390 e demorou 150 anos até ser concluído. Uma vez que demorou quase 2 séculos a ficar concluído, acabou por ter influências de mais do que um estilo.

Quando vista ao longe salienta-se rapidamente o seu aspeto fortificado e os seus pináculos e contrafortes. No seu interior com formato com 3 naves, destaca-se o altar-mor, talhado em pedra de Ançã. Aqui encontram-se representadas 100 figuras esculpidas, que são hoje em dia um dos símbolos da cidade.

Pin It on Pinterest

Share This