Em Cuba, ouve-se e sente-se música praticamente em todas as esquinas.

Sem qualquer dúvida que faz parte da vida dos cubanos. Este é o primeiro artigo que escrevo sobre Cuba e para mim foi imediato querer entender a história de algo que está tão ligado a um povo e que acaba por ser a sua forma de viver e de estar. É uma verdadeira paixão que se sente no ar e à qual é impossível ficar indiferente…

Foi no ano de 1492 que Cristóvão Colombo chegou a Cuba e anunciou o que ele chamou d’ “a terra mais bela que os olhos humanos já avistaram”. Mas foi apenas alguns anos mais tarde que se iniciou o processo de colonização por Espanha, liderado por Diego Velásquez.

No decorrer deste processo, a maioria dos nativos foram mortos e em 1526 os colonos espanhóis começaram a trazer escravos africanos.

A mistura desta influência de Espanha e de África é que esteve na origem da música cubana.

Nasceu portanto do folclore musical espanhol e dos ritmos africanos que os milhares de escravos trouxeram.

Os principais instrumentos associados à música cubana são os violões espanhóis e os tambores africanos, tendo as claves sul-americanas e as maracas aparecido mais tarde.

De toda esta influência de sons surgiram vários géneros:

  • Son: veio dos géneros danzón e da rumba. Este é o mais importante.
  • Canción cubana: compasso lento criado por um cubano;
  • Cha-cha-cha: é uma variação do mambo e o seu nome vem do som que quem dança faz ao bater no chão 3 vezes consecutivas ao acompanhar o ritmo;
  • Conga: influência dos escravos africanos do Congo Belga que foram transportados para Cuba;
  • Danzón: influência dos colonos do Haiti que fugiram para Cuba;
  • Jazz cubano: música de Cuba que começou a ser tocada em Nova Orleães nos anos 20;
  • Mambo: vem do Danzón com mistura do baixo, por influência europeia;
  • Música afrocubana: clara influência dos escravos africanos;
  • Rumba: influência do estilo congolês e espanhol;
  • Timba: explosão sonora com várias influências como funk ou rap e onde se improvisa.

Em Havana fui à Casa de la musica, um local excelente para ouvir e dançar música como um verdadeiro cubano. Eu recomendo.

Independentemente do género que seja, há música em todo o lado da ilha. Quem a vá visitar deve deixar-se levar por estes ritmos quentes…. e deixar-se apaixonar por Cuba.

Eu adorei o país e apaixonei-me!

Pin It on Pinterest

Share This