A Ponte dos Suspiros é conhecida em todo o mundo.

Rapidamente se associa o nome desta ponte a uma bela história romântica. De facto a lenda conta que os apaixonados que passarem por baixo da ponte ficarão enamorados para sempre…

E porque não, quando for a Veneza, passar de gôndola com o seu amor, por baixo da Ponte dos Suspiros? Viver todas estas histórias faz parte de experienciar o romantismo da cidade.

Mas na realidade a história do nome é outra.

História

Em 1614 o arquiteto Antonio Contino, que já tinha ajudado o tio a desenhar a Ponte de Rialto, desenhou a Ponte dos Suspiros. Tem 11 metros de largura, é feita de pedra calcária branca e tem 2 janelas com grades de pedra. A sua arquitetura renascentista italiana é belíssima.

A ponte encontra-se totalmente encerrada e coberta em todos os seus lados. Servia de ligação entre dois edifícios, o Palácio Ducal e o edifício das Novas Prisões, que foi o primeiro edifício do mundo a ser construído para ser uma prisão.

No interior da ponte existem dois corredores paralelos, completamente separados. Ambos ligavam a prisão a zonas diferentes do Palácio Ducal. Um deles permitia ir ao local onde se encontravam os executadores da lei e onde era aplicada a justiça penal e o outro corredor às salas de defesa do estado e ao parlatório.

No período Romântico surgiu o famoso nome da ponte. Acreditava-se que os prisioneiros quando saiam da sala do tribunal para a prisão, suspiravam ao terem um vislumbre de Veneza e da sua liberdade pela última vez, pelas janelas da ponte.

Mais tarde, o nome da Ponte dos Suspiros ficou conhecido por Lord Byron. Este poeta inglês viveu algum tempo em Veneza e escreveu sobre ela: “estava em Veneza, na Ponte dos Suspiros, um Palácio e uma prisão em cada mão”.

Já estive em Veneza duas vezes. Da primeira vez foi um pouco mais rápido, uma vez que apenas lá estive 2 ou 3 dias. Da segunda vez fiquei mais tempo. Consegui percorrer com calma durante largas horas as belíssimas ruas e pontes desta cidade. Andei bastante de vaporetto e experimentei as gôndolas. Comecei por ir aos locais obrigatórios como a Ponte dos Suspiros.

Passei por dentro da ponte e pelo caminho de quem soltava o suspiro antes de entrar na cela. Aconselho que faça também este percurso carregado de história. Vai gostar 🙂

Para saber como surgiu Veneza leia o artigo anterior.

Pin It on Pinterest

Share This