Praga é a capital da República Checa e na minha opinião, uma das mais belas cidades da Europa. Visitei no mês passado e adorei. Tenho a certeza de que irei voltar.

O centro histórico é lindo, com edifícios excepcionais, um castelo imponente e uma ponte que é uma das mais famosas do mundo. Todo o centro histórico é Património UNESCO.

O relógio astronómico

Localização do relógio

Na cidade de Praga existem 2 margens, que são divididas pelo rio Vltava:

  • De um lado Malá Strana (cidade pequena) e Hradcany – É na cidade pequena que se localiza o Castelo;
  • Na outra margem: Staré Mesto (cidade velha), Nové Mesto (cidade nova), Josefov (bairro judeu) e Vysehrad.

Na fachada da antiga Câmara Municipal, localizada no coração da cidade velha, encontramos um dos pontos mais emblemáticos de Praga. É o relógio astronómico, um dos mais antigos e elaborados do mundo. Além de marcar as horas, também indica as fases da lua e o movimento das estrelas… É um monumento à observação dos céus.

Aliás, a função principal do relógio astronómico era descrever o movimento dos corpos celestes, mostrando que o tempo era apenas um elemento secundário…

Passei lá várias vezes e a quantidade de turistas a observar e fotografar é inacreditável. Desde junho de 2017 que este edifício se encontra em reparação, estando encerrado o acesso interior ao público e parcialmente tapado o seu exterior. Vai ver isso nas fotografias deste artigo.

Se estiver a pensar ir a Praga, faça-o de preferência só para o ano. As obras terminam no final de 2017.

A construção do relógio

O edifício da Câmara Municipal foi criado no ano de 1338 e tinha como objetivo inicial ser a sede da administração da cidade velha. Alguns anos mais tarde, foi adicionada uma torre a sul e em 1410 foi instalada na sua fachada o relógio astronómico.

Esta obra-prima foi realizada pelo relojoeiro real Mikuláš de Kadaň e aperfeiçoada no final do século XV pelo mestre Hanuš de Růže. Existe uma lenda que indica que foi Hanuš que construiu o relógio, mas isto não é verdade. A lenda diz também que para o mestre não tornar a fazer outro relógio igual, os conselheiros de Praga mandaram-no cegar. Mas como vingança Hanuš parou o relógio…

Na realidade o relógio astronómico de facto parou, mas foi bem mais tarde , já no século XIX. O seu mecanismo foi reparado pelo seu relojoeiro Ludvík Hainz.

Praga era constituida por 4 cidades que no século XVIII se uniram e a Câmara Municipal tornou-se a sede de toda a cidade. Nesta altura existiu uma proposta para remover o relógio da fachada da torre, mas felizmente não foi aceite.

Desde então têm sido realizadas várias ações de melhoria no relógio, no sentido de o preservar e melhorar alguns mecanismos. Interessante saber que apesar de o relógio já ter vários séculos, ainda há partes que são as originais…

As 3 partes do relógio astronómico

Parte 1 – Os 12 apóstolos

No topo encontram-se 12 estatuetas mecânicas que representam os 12 apóstolos. Estas imagens foram acrescentadas no século XVII ao relógio. Durante o incêndio de 1945 as estatuetas foram destruídas, tendo sido substituídas por estátuas de madeira feitas por Vojtěch Sucharda 3 anos mais tarde.

À hora certa, entre as 9h e as 23h, pode ver um desfile das estatuetas nas 2 pequenas janelas sob o telhado. Vai reconhecer cada um dos apóstolos porque têm um atributo que os identifica.

Além dos apóstolos à hora certa também outras estatuetas “ganham vida” O esqueleto, que tem uma ampulheta na mão que mede o tempo, puxa a corda e dá início ao desfile. Acena a cabeça ao turco, que simboliza a extravagância. O turco recusa.

O avarento mexe a cabeça e sacode a sua bengala e bolsa, em sinal de ameaça, enquanto mesmo ao seu lado a estátua que representa a vaidade olha-se ao espelho. Estas figuras são símbolos da sociedade medieval de Praga.

Quando o galo canta, todos os movimentos são finalizados e o relógio astronómico adormece mais uma hora.

Parte 2 – O mostrador astronómico

O relógio astronómico tem mais de 600 anos e é único no mundo. No astrolábio podemos obter diversa informação. O astrolábio é um instrumento astronómico utilizado para determinar a hora local, assim como a posição do sol, da lua e das estrelas. Esta era a percepção medieval do universo.

O que existe na torre da antiga Câmara Municipal de Praga é um enorme círculo com 2 discos círculares mantidos juntos no centro. A parte superior representa o dia e a inferior a noite. Na parte inferior podemos ver com 2 cores o nascer e o pôr do sol, à esquerda e direita respetivamente. Basta olhar para a localização do sol e confirmamos qual a altura do dia em que estamos!

Ao observar o astrolábio atentamente podemos também saber:

  • Hora da antiga Boémia – os números góticos indicam as horas que passaram desde o pôr-do-sol, que era o início do novo dia;
  • Hora da Babilónia –os números árabes medem as horas entre o nascer e o pôr-do-sol, pelo que os dias no verão e no inverno têm durações diferentes;
  • Hora da Europa Central ou Hora antiga Alemã – a mão dourada indica a hora que é utilizada por todos nós. O dia começa à meia noite;
  • Hora das estrelas – é mostrado no mostrador numeral romano e deriva do movimento das estrelas;
  • Nascer e pôr-do-sol – a localização do sol nas 3 regiões de cores diferentes indica se é dia ou noite. Os momentos do nascer e pôr-do-sol ocorrem nos limites das cores;
  • Signos do zodíaco – marcado pelos 12 símbolos do zodíaco;
  • Posição e fases da lua- uma bola viaja através do mostrador, realizando uma volta de 29 dias e meio (mês lunar) e mudando o seu aspeto de acordo com as fases da lua;
  • Declinação do sol – pela posição do sol nos círculos dourados, que representam o trópico de câncer, de capricórnio e o equador;
  • Equinócio e solstício – pela posição da luz do sol nas barras que ligam o anel do zodíaco ao relógio.

Parte 3 – Mostrador do calendário

Esta é a parte mais nova do relógio astronómico, tendo sido acrescentada ao relógio astronómico no século XIX.

A parte mais importante é o cisiojanus, o dispositivo mnemónico utilizado para lembrar as festas mais importantes. Esta informação encontra-se no anel mais exterior. O principal responsável por este dispositivo foi Karel Jaromír Erben, um historiador, poeta e escritor checo.

No mostrador do calendário existe também informação dos signos do zodíaco e dos dias e meses do ano. Para verificar a data atual é só consultar o que está no topo.

Além do símbolo da cidade velha encontramos também as estátuas do filósofo, arcanjo Miguel, astrónomo e do cronista.

Mostrador do calendário

 

Pin It on Pinterest

Share This