A Andaluzia, o antigo Al-Andalus

A Andaluzia, o antigo Al-Andalus

A Andaluzia é uma comunidade autónoma de Espanha, localizada no sul do país. É uma região carismática e na minha opinião, extremamente interessante do ponto de vista paisagístico e histórico.

Há qualquer coisa diferente por aqui, comparado com o resto de Espanha. A paisagem, as casas brancas, a gastronomia e a forma de viver com o muito calor que por lá se faz sentir. Algo que está completamente associado é o flamenco. Eu sou totalmente apaixonada por esta música, adoro a alma e a atitude. Já danço há 8 anos e está tudo dito 🙂

Vamos então falar desta magnífica região espanhola.

A história

A Andaluzia esteve ocupada pelos romanos durante cerca de seis séculos. A 1ª colónia chamava-se Itálica e as suas ruínas ainda se podem visitar atualmente, na proximidade de Sevilha. Desta ocupação ficaram também as estradas e os aquedutos.

Seguidamente aos romanos estiveram nesta região os visigodos e vândalos, povos do norte da Europa. Na altura eram chamados de bárbaros.

Até que no ano de 711 deu-se o início da invasão muçulmana com Tariq ibn Zyad. Ao longo do tempo toda a Andaluzia e quase toda a restante península ibérica, foi invadida. Os árabes chamavam a esta região Al-Andalus, que na sua língua significa terra dos vândalos. O nome de Andaluzia vem desta palavra.

Esta cultura árabe permaneceu em alguns aspetos tanto em Espanha como em Portugal, e não só na Andaluzia. Ao nível da alimentação, arquitetura, influência na língua, entre outros aspetos.

Durante a ocupação árabe foram construídas várias estruturas, mas o que ainda se pode ver são os palácios, mesquitas e fortalezas. De entre tudo o que foi construído é de destacar a Grande Mesquita de Córdoba. Esta cidade foi a capital árabe do Al-Andalus. Não irei falar mais desta mesquita, que hoje em dia é igreja, porque lhe irei dedicar um artigo em exclusivo.

Os cristãos foram sempre tentando expulsar os árabes da península ibérica mas apenas o conseguiram em 1492, quando Granada foi tomada. Foi aqui na zona sul de Espanha que os árabes mais tempo ficaram e por essa razão, mais forte foi a sua influência.

A Anadaluzia é única e vale bastante a visita, na minha opinião.

O que ver

Existem imensos locais interessantes a ter em conta numa visita à região da Andaluzia. Tantos conjuntos de casarios brancos que é difícil listar todos eles. Mas as 3 principais e mais conhecidas cidades e que eu destaco, são Sevilha, Córdoba e Granada. Eu já estive várias vezes em Sevilha e nas restantes um bom periodo de tempo. Aconselho a ir com tempo, para conseguir usufruir da alma desta região. Muito provavelmente irá ser uma experiência memorável.

Sevilha

Praça de Espanha

Sevilha é uma cidade sensual. É bonita, tem edifícios fantásticos, bairros muito interessantes e a música flamenca sente-se em todo o lado.

Atualmente é a principal cidade da região de Andaluzia. O rio Guadalquivir passa pela cidade e por isso um passeio de barco é uma excelente maneira de conhecer calmamente ambas as margens do rio e espreitar alguns dos monumentos.

Córdoba

Interior da Mesquita

Como eu já referi antes, Córdoba teve um passado majestoso, tendo rivalizado com cidades como Cairo ou Bagdad. Sem dúvida que a Mesquita é o principal ponto de interesse, mas existem muitos outros pontos de interesse.

Com tempo, percorra as ruas da judiaria, vá até ao o alcazar, à ponte romana, às muralhas e termine os dias nos banhos árabes. Sinta Córdoba, nesta mescla de tradições e de cultura.

Granada

Vista do Alhambra

Quando falamos desta cidade lembramo-nos imediatamente do Alhambra. É um magnífico complexo de palácios que é um dos mais visitados de Espanha e do mundo. Não deixe mesmo de lá ir.

Granada fica no coração da Andaluzia e foi a última cidade a ser tomada pelos reis católios, já estávamos no século XV.

Nos próximos artigos irei falar mais em pormenor destas cidades.

Abu Dhabi, Dubai e Sharjah

Abu Dhabi, Dubai e Sharjah

Os Emirados Árabes Unidos (EAU) são uma federação formada por 7 emirados. Este conjunto de emirados localiza-se na Península Arábica, no extremo sul do Golfo Pérsico. A sua capital é Abu Dhabi, mas o Dubai é a maior cidade. A principal religião é o islamismo e a língua oficial o árabe. É aqui que existe uma das maiores reservas de petróleo do mundo.

Cada emirado é um estado chefiado por um monarca absoluto, designado de emir, sendo o poder transmitido por sucessão heriditária. A federeção tem um presidente e vice-presidente, eleitos a cada 5 anos pelo conselho de emires.

História

Esta região é habitada há milhares de anos e tem uma rica herança histórica. O deserto era habitado por tribos beduínas e pescadores. A forma hospitaleira como os beduínos tratavam os convidados pode ser verificada ainda hoje, mesmo na sociedade moderna em que a região se transformou. É um misto de tradição e modernidade muito interessante.

O desenvolvimento esteve muito relacionado com a existência de comércio com outras regiões, dada a sua excelente localização. Era aqui que as rotas das caravanas circulavam entre o que agora é o Omã e o Iraque.

Entre os séculos XVII e XIX a área ficou conhecida como a Costa dos piratas, pois existiam muitos ataques aos barcos que por lá passavam (por piratas). Esta situação levou a que o Reino Unido tivesse intervido, pois os ataques realizados pelas tribos afetavam a circulação dos seus barcos que navegavam para a Ásia. Era de extrema importância que o Reino Unido conseguisse manter relações comerciais com a Índia

Assim sendo, em 1853 o Reino Unido e nove xeques assinaram um tratado em foi estabelecida trégua marítima permanente. A região passou a ser designada de Costa da Trégua.

Durante este período foi descoberto petróleo. Foi a partir daqui que a história mudou rapidamente.

Em 1971 as tropas do Reino Unido sairam da região e seis dos emirados da Costa da Trégua formaram uma nação independente. A 2 de dezembro desse ano surgiu a federação dos EAU, tendo em vista a segurança mútua e prosperidade. No ano seguinte juntou-se o sétimo emirado, Ras Al Khaimah. O Bahrein e o Qatar tornararam-se nações independentes.

De seguida vou falar um pouco melhor dos três maiores emirados. Ras Al Khaimah (RAK), Umm Al Qwain, Ajman e Fujairah ficam para outros artigos. 

Abu Dhabi

Este é o maior dos emirados da EAU e a cidade com o mesmo nome é a capital federal. O território ocupado pelo emirado localiza-se numa ilha, que se encontra ligada ao continente por 2 pontes.

Neste momento este emirado está a desenvolver-se turistica e culturalmente, realizando projetos futuristas. As atrações mais conhecidas são os seguintes:

A Grande Mesquita Sheikh Zayed – foi inaugurada em 2007 em homenagem ao fundador dos EAU, que se encontra enterrado no pátio exterior. No seu interior encontram-se 80 cúpulas brancas, 1000 colunas, candeiros de ouro e um magnífico tapete persa no pavimento. É uma das maiores mesquitas do mundo.

Parque Temático da Ferrari – este parque foi construído em2007 como tributo à paixão pela Ferrari. Cada área e atração está relacionada com a história desta marca.

Yas Marina Circuito da Fórmula 1 – um luxuoso autódromo inaugurado em 2009.

Muito interessante também é a cidade de Masdar, que fica a cerca de 30 km de Abu Dhabi. Está a ser construída procurando implicar o menor impacto ambiental.

Dubai

O emirado do Dubai é o mais populoso dos EAU e o 2º maior em área. A capital, que também se chama Dubai, é muito conhecida pelos seus projetos ambiciosos, sendo o local mais popular de toda a federação. Apesar de toda a modernidade o Dubai ainda preserva muitos traços da cultura árabe.

Zona antiga

Ainda é possível ver a zona mais antiga e histórica da cidade, para conhecermos o passado relacionado com as tribos beduínas que aqui habitavam. Nos bairros Deira e Bur Dubai é possível encontrar souks, ruas labirínticas, museus, edifícios antigos, além de restaurantes, cafés e lojas muito interessantes.

Zona moderna

Já na zona mais nova da cidade é onde se encontram os locais mais emblemáticos e a Sheikh Zayed Road, um corredor de arranha-céus. Destaca-se aqui nesta rua a torre de escritórios com 37 andares, o Dubai World Trade Centre e as Torres Emirates.

Na baixa destaca-se o Burj Khalifa, o edíficio mais alto do mundo; a Fonte do Dubai e o Dubai Mall, o maior centro comercial do mundo.

A principal área de praia do Dubai é a área da Jumeirah. Aqui existe o famoso hotel de 7 estrelas Burj Al Arab e a Palm Jumeirah, que são ilhas artificiais com formato de uma palmeira.

Sharjah

A cidade tem o mesmo nome do Emirado e localiza-se a cerca de 30 km da cidade do Dubai. Além do território continental tem também 3 ilhas frente ao Golfo de Omã. Este é o 3º maior emirado da federação.

É considerada a capital cultural de todos os emirados, uma vez que aqui se encontram 24 museus, como o Museum of Islamic Civilization. No ano de 1998 foi a capital da cultura do mundo árabe.

Sharjah tem belos parques e lagoas naturais que convidam a boas caminhadas. Ao andar na cidade vai ver que existem imensos edifícios em forma de palácio, uma vez que as instalações do governo tiveram de ser construídas nesse formato. Até o aeroporto é em forma de palácio.

Muito interessante também sao as várias mesquitas e os souks cobertos.

É muito perto do Dubai, vale muito a pena vir aqui. Este emirado é local muito mais conservador do que os dois primeiros que falei.

A região do Douro

A região do Douro

A região do Douro é uma das mais antigas e belas regiões vinícolas europeias.

Localiza-se no norte de Portugal e tem paisagens exuberantes. É nas encostas íngremes e solos acidentados do vale do rio Douro que se produz muitos vinhos de mesa de excelente qualidade e o famoso vinho do Porto. A zona de produção de vinho, o Alto Douro Vinhateiro, é Património Mundial desde 2001. Abrange 24600 hectares e 13 concelhos.

O rio Douro é o 2º maior da península ibérica. Nasce numa serra espanhola e entra em portugal por Barca Dálva, percorrendo 213 km até desaguar na Foz do Porto. (mais…)

A região das Caraíbas

A região das Caraíbas

As Caraíbas são uma região da América Central formada pelo Mar das Caraíbas e mais de 7000 ilhas.

Foi Cristovão Colombo quem descobriu estas ilhas quando pretendia alcançar a Ásia, por uma rota ocidental. Em 1492 chegou às Bahamas e mais tarde a outras ilhas como Jamaica, Porto Rico ou Granada. Chamou de Índias Ocidentais às ilhas que descobriu, sendo que hoje em dia essa designação não é muito utilizada. (mais…)

Pin It on Pinterest