Lx Factory

No último domingo à tarde fui passear à Lx Factory. É um espaço da capital portuguesa, renovado há poucos anos e fica já muito próximo do rio, na zona de Alcântara. Esta zona é já um pouco afastada do centro de Lisboa, mas existem carreiras regulares e comboio que nos podem deixar lá muito perto. Ao chegar é preciso procurar com atenção um portão de ferro, uma vez que é uma entrada muito discreta.

Na Lx Factory sente-se uma boa energia, devido a uma mistura de factores. Tem um ar abandonado e decandente, as lojas e escritórios são super originais e irreverentes e as pessoas que por lá andam parecem ser muito interessantes. Todo este ambiente é ainda melhor ao domingo.

Neste dia da semana realiza-se o Lx Market, entre as 11 e as 20h. Algumas das ruas enchem-se de bancas com vendedores portugueses e outros estrangeiros. É vendida roupa, joalharia, fruta e legumes, sumos e bebidas alcóolicas, produtos naturais e de decoração. Mas mesmo que não vá comprar nada vale a pena fazer parte deste mercado.

O que era a Lx Factory?

Ao percorrer as ruas da Lx Factory vai perceber que este espaço era uma zona fabril. Foi no ano de 1849 que a Companhia de Fiação e Tecidos Lisbonense foi ali inaugurada. Era uma das maiores fábricas de Lisboa na época.

A Companhia já existia desde 1838 mas a instalação em Alcântara ocorreu com o objetivo de juntar todos os edifícios relacionados com a atividade, que se encontravam dispersos. O responsável pelo projeto foi o arquiteto português João Pires da Fonte.

O primeiro edifício fabril a ser inaugurado tinha 4 andares, uma chaminé enorme e uma máquina de vapor no seu interior, que permitia realizar a fiação e a tecelagem. Nos anos seguintes foram construídos mais 5 edifícios e em toda a instalação chegaram a existir 300 teares, provenientes de Inglaterra. Foram os tempos aúreos da atividade.

Imagina a quantidade de pessoas que trabalhavam na fábrica? Tendo em vista albergar os trabalhadores e as suas famiílias a Companhia foi responsável por construir muito próximo instalação fabril, uma vila operária. Se a quiser ver dirija-se à Rua 1º de maio. E já agora, para lhe deixar alguma curiosidade, acrescento que existem muitos outras vilas operárias em Lisboa, se bem que da rua 1º de maio foi a primeira de todas.

Depois de gozar de algum prestígio, a Companhia de Fiação e Tecidos Lisbonense começou a ter problemas (provocados pela implementação da República em Portugal) e acabou por se dissolver. Os edifícios fabris foram vendidos, primeiro à Companhia Industrial de Portugal e Colónias e seguidamente à tipografia Anuário Comercial de Portugal e Gráfica de Mirandela.

A atividade industrial foi gradualmente diminuindo em Lisboa e o espaço ocupado pela fábrica foi-se degradando. E assim sendo, este espaço enorme e 23000m2, permaneceu escondido em Lisboa.

O que é a Lx Factory

Foi em 2008 que nasceu o projeto Lx Factory. É uma ilha onde se respira criatividade e inspiração. A fábrica obsoleta ressuscitou e atualmente é um foco cultural obrigatório para quem visita (ou vive em) Lisboa.

Frase escrita numa parede da Lx Factory

Frase escrita numa parede da Lx Factory

Nas antigas instalações existem agora empresas relacionadas com arquitetura, design, restauração, publicidade, moda, artes plásticas, música, fotografia, assim como alguns restaurantes e cafés, entre outras áreas. É uma lufada de ar fresco ver o que se passa na mente criativa dos portugueses.

Ao domingo além de todo este comércio que referi ainda temos o Lx Market. São tantas bancas de produtos mais ou menos originais, que é um delícia percorrer e quem sabe até comprar. Talvez uns tomates ou figos de Torres Vedras, uma nova pulseira original e única (porque é feita à mão), uma camisola gira ou um azulejo típico de Lisboa para recordar a cidade e o passeio desta tarde.

Pin It on Pinterest

Share This